XTREME ReVoLuTioN Curso de DJ

O Curso de DJ   Artigos, análises e dicas para DJs O DJ instrutor, analista e crítico Wagner J. P. Contato

Complementos e/ou relacionados
 Menu da série aventureiros, oportunistas e prostituição comercial
 Introdução geral
 Ser bom de verdade e não um aventureiro oportunista
 Se tornar um profissional é fácil, "difícil" é ser bom.
 Oportunismo disfarçado
 Objetivo desta serie
 Notas e observações complementares
 Prostituição comercial
 Aventureiros comerciais
 Oportunistas comerciais
 Reconhecimento e classificação geral
 Prejuízos e injustiça comercial provocado pela prostituição comercial
 Conhecimento, habilidade versus o certificado
 É possível aprender sozinho e não se tornar aventureiro...?
 Aventureiros e oportunistas que não aprendem a lição


FAQ
Dúvidas mais freqüentes  sobre nossos cursos para DJs.
 

 

Documentação e registro de tudo que desenvolvemos

 
 
Lista de artigos
 

Conhecimento, habilidade versus o certificado

Certificado nem sempre é sinônimo de qualidade e eficiência.

Não é o certificado que determina o nível de conhecimento e habilidade de um “profissional”.

Série: Aventureiros, oportunistas e prostituição comercial no mundo DJ

 21/1/2009 21:50:39       Vs.: 0.8

Em qualquer atividade profissional ou não, de músico, design, DJ, ao advogado, engenheiro, médico, e etc, bons cursos são importantes para maximizar o aprendizado, conhecimento, habilidade, qualidade, eficiência e diminuir o tempo necessário para o amadurecimento técnico profissional dentre vários outros benefícios que proporcionam, mas nem sempre o certificado de um curso é sinônimo de qualidade, eficiência e de que a pessoa realmente está preparada para o mercado. Para um certificado ser sinônimo de qualidade e eficiência, todo o curso tem que ser muito bom, do professor ao conteúdo do material didático; o curso tem que ser sério, transparente e caso / quando necessário, ser rígido; deve exigir muito do aluno e o aluno deve ser dedicado e disciplinado. Tudo isso para que a maior parte dos seus alunos tenha bom aproveitamento e conseqüentemente qualidade técnica, comprovando assim, que seu certificado é sinônimo de qualidade. Muitos certificados não servem para nada, só para dizer que o aluno concluiu um curso.
Ao contrário do que muitos imaginam, ouvem e / ou dizem, em muitas atividades o certificado só serve para aumentar ainda mais a prostituição e injustiça comercial. Cursos ruins, com professores despreparados, colocam no mercado profissionais igualmente despreparados, mas com um pedaço de papel (“certificado”) e muitas vezes inconscientemente iludidos, achando que estão aptos a atuar. Há aventureiros e oportunistas que fazem curso, mas não se esforçam e não adquirem o conhecimento mínimo necessário. Muitos estão preocupados apenas com o certificado. Logo em seguida, sem a mínima maturidade profissional se atiram no mercado.
Deve-se montar um curso, escola ou faculdade com o intuito / a  finalidade, de treinar e condicionar da melhor forma possível cada aluno e buscar conscientizá-lo da importância do conhecimento e habilidades a serem desenvolvidas e / ou aperfeiçoadas / melhoradas no mesmo. Cada interessado em aprender, se formar em uma atividade, deve entrar em um curso pensando em aprender, tirar o máximo dele, e para isso deve se dedicar ao máximo para assim seu certificado representar seu conhecimento e habilidades reais, adquirido no mesmo.
Mesmo nas atividades que exigem curso superior, onde se é obrigado a ter um certificado para que o indivíduo atue profissionalmente, como por exemplo, médico, dentista e engenheiro, não é um pedaço de papel (certificado / diploma) que diz se um profissional é bom de verdade. A maior parte dos profissionais destas e de muitas outras áreas, não se dedicou / dedicam, e conseqüentemente não são bons de verdade; têm apenas um mínimo de conhecimento, habilidade e maturidade técnica, e que muitas vezes ainda não é suficiente para atuar, mas que só por ter um certificado estão no mercado muitas vezes atuando de forma negligente e cometendo erros primários.
Em uma mesma turma formada, pode haver pessoas / ”profissionais” extremamente bem condicionados, com muito conhecimento e habilidade devido a sua dedicação e outros que passam no limite mínimo, por falta de esforço e dedicação ou por falta de qualidade e eficiência do curso. Infelizmente devido a diversos fatores, os menos preparados representam a grande maioria de um grupo. Portanto duas pessoas formadas em uma mesma faculdade e turma de uma determinada atividade podem ter o mesmo pedaço de papel (certificado), mas devido ao nível de dedicação, disciplina, poder de assimilação de cada aluno e da qualidade do ensino / treinamento, podem ter conhecimentos e habilidades completamente diferentes. Os que realmente gostam da atividade que se propuseram a estudar, normalmente se dedicam e conseqüentemente adquirem conhecimento muito acima da média. Os que fazem o curso por algum motivo que não seja primeiramente a sua própria satisfação tendem a ter menor desempenho e aproveitamento, normalmente pela falta de dedicação e boa vontade, muitas vezes inconscientemente. O desempenho médio de uma turma, positivo ou negativo depende em grande parte do curso e / ou professor (ou professores). Portanto, o certificado / diploma nem sempre tem relação com conhecimento, habilidade e maturidade técnica. Com isso fica claro que é apenas um pedaço de papel sem muita relevância para muitos em várias atividades onde o que importa, ou deveria ser realmente importante, é o preparo e condicionamento do indivíduo.
Em muitas atividades, os maiores culpados pela prostituição comercial são as escolas, cursos e professores que lançam por ano no mercado dezenas, centenas ou até milhares de “profissionais” mal trabalhados, treinados, condicionados, iludidos, imaturos, com falsos conceitos e vícios “técnicos” negativos, técnicas ineficientes, sem bom senso, coerência e criatividade. E muitos destes profissionais, consciente ou inconscientemente, atuarão desta forma durante anos prestando serviços muito inferiores aos que poderiam prestar, até que aprendam e fiquem bons de verdade. Em várias atividades, se o certificado só fosse entregue a quem tem preparo real, mais de 70% não os receberia. Poucos profissionais educadores, instrutores, treinadores e instituições de ensino se preocupam com o condicionamento real do aluno. Certificado / diploma era para ser sinônimo de real competência e aptidão. Mas não é.
Não basta apenas fazer um curso e obter um certificado. O curso tem que ser bom, e o aluno dedicado. 
 

HyperLink Versão leve para impressão

Comente

Dê sua opinião, sugestão, critique ou elogie.

Sua participação é muito importante para que possamos melhorar cada vez mais este site.

Nome ou pseudônimo profissional: 
    
E-mail:  (Não será divulgado publicamente)
Tipo:    Seu site/blog: (opcional)
Texto:  ( Comentário / crítica / elogio / observação / análise / complemento )

         

 Enviar       Cancelar

Comentários

 lili     

18/7/2011 14:35:08

Boa Tarde, Em alguns itens não concordo com vcs....hoje ter um diploma é importante sim.....agora se o estudante ou aluno não foi dedicado o suficiente e não aprendeu já não é um problema da instituição de ensino..Todos os curso são bons,todas as instituiçoes são boas e de qualidade..o problema é que as vezes o aluno acha que só pq tá pagando e o professor tem o direito de abrir a ( sua cabeça ) pra ele aprender e não é por ai......Temos que ser sensatos.. Obrigada pelo espaço...desculpe algo Boa Tarde

 Marielle Ramires      http://cantinhoeducespecial.blogspot.com

24/2/2011 12:09:00

Gostaria de expor minha opinião com relação a esta questão. Sou formada em letras porém trabalho com crianças especiais e não tenho nenhum certificado na área, tive a oportunidade de fazer um estágio como auxiliar de crianças portadoras de necessidades especiais(PNE)ma escola particular e este desafio fez com que eu descobrisse meu dom para trabalhar com estas crianças. Antes disso nunca havia tido contato com estas, porém aceitei o desafio e passei a estudar sobre casos de PNE. Confesso que pensei que seria difícil, mas não foi. Hoje já fazem 2 anos que estou na área e continuo sem curso específico, não por falta de interesse , mas porque minha cidade não proporciona cursos adequados a esta área ou porque as turmas não fecham. Este assunto de que certificado não é sinônimo de conhecimento é a realidade, a cada dia que passa temos mais certificados e menos pessoas qualificadas ou interessadas em aprender. fazem um serviço mal feito e só querem saber de dinheiro, e isso é em todas as áreas do mercado. Então gostaria de perguntar como fica a consciência de quem faz um trabalho mal feito e ganha por ele, aliás, será que estas pessoas tem consciência???


Veja a lista dos principais artigos

 
Lista geral de documentos/artigos
 
Mapa do Site

© 1999-2012, Wagner J. Pereira e Ana Claudia de Carvalho Pereira. Todos os direitos reservados. Todo nosso material (textos, matérias, imagens e gráficos de nossa autoria) é registrado. Veja nossa política de registro e cópia para publicação em outras mídias. as mídias. as mídias. as mídias.

www.xtreme-DJ.com e www.DJarte.com.br    -     Artigos, análises, cursos e dicas para DJs   -     Rio de Janeiro - RJ - Brasil