Dicas, cursos, tutoriais, artigos, análises e críticas relacionadas a todo universo DJ

Uncreative place

www.uncreativeplace.com.br

Um espaço com visual e conteúdo jovem

Após alguns anos escrevendo como colaboradora para alguns blogs, Bianca Caroline, uma jovem estudante apaixonada por livros, filmes, séries, músicas e várias outras artes, resolveu criar seu próprio espaço na grande rede e em Agosto de 2016 começou a disponibilizar artigos, análises, críticas e indicações de arte em geral.

Os DJs e o lado negativo dos recursos e facilidades tecnológicas

Traktor Pro DJ 2.6

Traktor Pro DJ 2.6

Para iniciar este artigo gostaria de dizer que o ideal antes de se utilizar os recursos e facilidades tecnológicas é primeiramente dominar a música de ouvido para, dentre muitas outras coisas, saber identificar as falhas e erros cometidos pelas máquinas / equipamentos e softwares – e com isso assumir o controle quando necessário -, e principalmente tocar com a alma, com o coração, e manipular o público / evento de forma adequada.

As tecnologias são excelentes ferramentas auxiliares / complementares se utilizadas de forma adequadas por pessoas coerentes, sensatas, técnicas e profissionalmente maduras.
O uso de tecnologia de forma inadequada gera dependência, vícios negativos, preguiça / relaxamento mental, retarda expressivamente o desenvolvimento das principais habilidades, criatividade e maturidade técnica profissional, dentre outros inconvenientes. A dependência e o vício provocados pelo uso inadequado e / ou incorreto dos recursos, facilidades tecnológicas e também de algumas técnicas, torna mais difícil o desenvolvimento das principais habilidades, requerendo treinamento, técnicas e exercícios especiais e / ou dosagens muito maiores que o realmente necessário para se eliminar os mesmos e desenvolver as habilidades de forma correta / adequada.
Se quer ser bom de verdade rapidamente, durante o aprendizado e desenvolvimento das principais habilidades, deve evitar uso de recursos e facilidades tecnológicas, até que saiba ler, entender e “manipular” a música de ouvido e tenha desenvolvido as habilidades sensoriais, mentais e os reflexos auditivos musicais.
As facilidades e recursos tecnológicos não devem substituir nossas habilidades, mas sim, complementá-las. Não é nenhuma vergonha profissionais verdadeiramente bem preparados e bons de verdade utilizarem tecnologias, recursos e facilidades tecnológicas, desde que seja para auxiliar, estender / ampliar suas habilidades, sentidos e potencial. Vergonha é se escorar completamente em tecnologias, mitos e falsos conceitos quando não se têm preparo, conhecimento e habilidades reais adequadas.
Quem aprende a tocar primeiramente através do modo tradicional com treinamento, técnicas e exercícios adequados, domina a música e amadurece muito mais rápido e com muito mais habilidades do que quem aprende se escorando em tecnologias.
Infelizmente devido a forma que aprendem e a inúmeros falsos conceitos, a grande maioria dos novos DJs que nas últimas duas décadas vêm aprendendo a tocar se escorando totalmente em recursos, facilidades tecnológicas, automações, e que tocam quase 100% programado quanto a música e automações, são extremamente limitados, não têm e demoram muito adquirir a maturidade técnica e profissional, o domínio de pista / público, dentre algumas outras habilidades mentais e sensoriais base fundamentais / essenciais que DJs tradicionais, que realmente sabem manipular a música de ouvido tem. Um DJ tradicional realmente bom, supera este tipo de DJ sem uso de recursos e facilidades tecnológicas e se este também dominar recursos e facilidades tecnológicas e fizer uso de seu conhecimento e habilidades tradicionais, juntamente aos recursos, funções e facilidades disponibilidades pela tecnologia, vira covardia.
Portanto, sendo redundante porém com outras palavras para consolidar, por motivos óbvios, DJs técnica e profissionalmente inexperientes só deve fazer uso de recursos e facilidades tecnológicas para agilizar alguns processos / procedimentos e / ou ampliar seu potencial após estar com o ouvido e cérebro afinados, bem condicionados, ou seja, quando já possuir as principais habilidades sensoriais, auditivas e mentais de um DJ bom de verdade, pois caso os recursos e facilidades tecnológicas falhem, o que é comum, você deve assumir o controle da situação. Se sempre se escorar em tecnologia, não tiver as habilidades bem condicionadas e a máquina falhar, poderá ser um “desastre. Só DJs com habilidades sensoriais, auditivas e o cérebro bem condicionados são capazes de assumir o controle da situação e fazer mixagens corretas e / ou estilizadas (bem elaboradas), principalmente de improviso, de acordo com a reação / comportamento do público / evento.

Alguns recursos e facilidades que podem gerar vícios e retardar em muito o real amadurecimento

Entre os recursos e facilidades para DJs que geram preguiça mental, retardam o desenvolvimento de habilidades fundamentais, inclusive a criatividade, e consequentemente retardam expressivamente o amadurecimento técnico profissional quando mau explicado / apresentado, entendido / interpretado e mau utilizado / aplicado estão os contadores / analisadores de BPM, beatgrid, BPM sync, quantization / quantização, snap, algumas informações contidas nos displayers dos players, softwares e nos mixers, como marcação estrutural (tempo / batida e compasso); tempo progressivo e regressivo; VU por canal; gráficos das ondas / wave das músicas; sistemas que analisam e mostram os tons das músicas; phase Meter, “piloto automático” que controla / automatiza diversos processos como sincronismo automático entre músicas, autogain, limiter, headroom, dentre outros recursos e automatizações.
Alguns destes têm falhas e deficiências que geram uma grande margem de erro, e além disso, minimizam, e em alguns casos até eliminam uma das principais habilidades dos Djs: a de saber combinar e contrastar músicas e elementos de acordo com uma série de fatores ligados ao comportamento do evento / público.
Muitos recursos e facilidades tecnológicas fazem com que a grande maioria dos DJs adeptos / viciados nelas hoje, atuem baseados em números e gráficos, de forma visual e extremamente matemática, e não com os ouvidos, cérebro e emoções, o que leva os eventos a serem frios e consequente não levarem as pessoas a se divertirem de verdade como poderiam.
Não existem ferramentas mais eficientes que o cérebro e os ouvidos para questões musicais. Utilize os recursos e facilidades tecnológicas, mas primeiramente, condicione-se de forma adequada e ponha seu cérebro e ouvidos à frente de qualquer tecnologia. Enfim, para se tornar um DJ bom de verdade tem que aprender a ouvir música não só com os ouvidos, mas também, e principalmente, com o cérebro.

Recursos e facilidades tecnológicas na aviação e a relação com os DJs

Os pilotos verdadeiramente bem treinados, bons de verdade utilizam os recursos e facilidades tecnológicas para ampliar / estender suas habilidades naturais e sentidos, e não para substituí-los. Segundo especialistas, para ser um piloto bom de verdade é extremamente necessário que se tenha muita intimidade com os conceitos tradicionais básicos fundamentais de pilotagem. Os pilotos devem usar as tecnologias porém, devem estar íntimos dos conceitos e habilidades técnicas básicas de pilotagem e aptos a assumir o controle da aeronave caso os recursos e facilidades, como o piloto automático, falhem e / ou não estejam aptos a agir em determinadas situações.
Quanto maior a quantidade de recursos e facilidades tecnológicas mais importante o treinamento adequado das habilidades básicas naturais de pilotagem. Na aviação e em diversas outras atividades, já foi comprovado que se utilizadas de forma inadequada muitas das facilidades e recursos tecnológicos retardam expressivamente o aprendizado e desenvolvimento das principais e essenciais habilidades e consequentemente o amadurecimento técnico e / ou profissional que por sua vez geram falhas humanas que poderiam ser facilmente evitadas com as habilidades essenciais bem treinadas.
O mesmo ocorre com os DJs. Como disse acima, para ser bom de verdade, é extremamente importante que entre outras coisas se tenha total intimidade e domínio da música, das principais / essenciais técnicas clássicas de mixagem, e para isso, como os pilotos, deve ter um treinamento de qualidade e eficiente quanto aos sentidos, cérebro e físico. Como pilotos bons de verdade, para se tornar um DJ bom de verdade o indivíduo deve ter um treinamento mental (intelectual e emocional), sensorial (auditivo musical) e físico adequado. E além das habilidades e de conhecer profundamente as variáveis da atividade, deve conhecer profundamente suas ferramentas profissionais secundárias equipamentos, periféricos, acessórios e ou softwares. Digo secundárias, pois para mim as primárias são nossos sentidos e cérebro.

Painel avião

Painel avião

Reafirmando o que pode encontrar em outros de nossos artigos, e como já deu para perceber neste material, não estamos dizendo que não deve aprender, adquirir intimidade ou que não deva usar recursos e facilidades tecnológicas. Muito pelo contrário. Deve aprender, se tornar íntimo e usar sim. O que estamos dizendo é que não é recomendado para iniciantes, aprendizes que ainda não desenvolveram adequadamente as principais habilidades, e que ainda é técnico e profissionalmente imaturo. Estamos dizendo também que deve utilizar os recursos e facilidades tecnológicas de forma consciente, com bom senso, coerência e maturidade.

Busque sempre lembrar que o real objetivo dos recursos, facilidades tecnológicas e ou automatizações é ampliar o potencial, estender as habilidades de quem já tem as principais bem desenvolvidas e é técnica e profissionalmente maduro. Saiba que sempre fomos grandes incentivadores quanto a tecnologia, tanto que no início do milênio desenvolvemos, registramos e disponibilizamos gratuitamente em nosso site o primeiro tutorial em português de um dos melhores softwares da época, o PCDJ, e promovi as primeiras análises de softwares para DJs.

Para finalizar gostaria de deixar claro que não é o fato de apresentar, ensinar, aprender e ou utilizar os recursos e as facilidades tecnológicas que gera diversos inconvenientes, limitadores, e contribui com para prostituir ainda mais o mercado, mas sim a forma como se apresenta, ensina, aprende / interpreta e a falta de conscientização quanto a aplicação / utilização. Ou seja, o problema não é a tecnologia mas sim a forma de falar, apresentar, ensinar / explicar, entender / interpretar e utilizar / aplicar por parte das mídias, jornalistas, DJs, inclusive renomados, instrutores, e claro, dos aprendizes, iniciantes e leigos. Estes sim, são fatores que dependendo da forma, podem gerar mitos, falsos conceitos, ideias antiquadas e até preconceitos, que na grande maioria são infundados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Validação *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Siga-nos
Link to my Facebook Page
Link to my Rss Page
Link to my Youtube Page