Dicas, cursos, tutoriais, artigos, análises e críticas relacionadas a todo universo DJ

Uncreative place

www.uncreativeplace.com.br

Um espaço com visual e conteúdo jovem

Após alguns anos escrevendo como colaboradora para alguns blogs, Bianca Caroline, uma jovem estudante apaixonada por livros, filmes, séries, músicas e várias outras artes, resolveu criar seu próprio espaço na grande rede e em Agosto de 2016 começou a disponibilizar artigos, análises, críticas e indicações de arte em geral.

Testando e quebrando mitos de que o MP3 é o vilão da história

Vilao_MP3Há várias formas de mostrar que o MP3 não é o único vilão quanto à qualidade do som de um evento, casa noturna ou club, como mostram mitos, falsos conceitos e algumas ideias antiquadas disseminadas na internet. Uma das formas mais simples é adquirir CDs originais utilizados por profissionais de áudio para testar sistemas de som, e para não ter nenhuma dúvida, procurar utilizar CDs realmente originais e de boa qualidade sonora. Caso não consiga encontrar, procure na internet em formato wave / wav, e grave em uma mídia como CDA (CD de áudio). Evite os que já estão em MP3, pois até o momento você acredita que o MP3 é auditivamente muito pior que o CDA / WAV.

O objetivo deste teste / análise é mostrar que auditivamente, com bom senso, coerência, maturidade e sendo justo, a diferença do CD para o MP3 é praticamente imperceptível se este for capturado / convertido / codificado da forma adequada, com um bom software que tenha um bom CODEC, e reproduzido em um mesmo sistema igualmente bom quanto a qualidade sonora.

Quando já estiver com o CD de áudio de teste, utilize um bom software com bom CODEC para converter todo o CD em áudio compactado MP3. Se preferir e não for te colocar em dúvida, poderá converter o WAV direto para MP3. Para promover estes estudos, testes e análises de forma adequada, precisa e confiável, o ideal é que se faça quatro conversões, em diferentes formatos, como na lista abaixo:

320kbps por 44100hz(44.1 K)

192kbps por 44100hz(44.1 K)

128kbps por 44100hz(44.1 K)

92kbps por 44100hz(44.1 K)

Após converter utilize um bom sistema de reprodução (bom equipamento de som), que tenha boa definição de graves, médios e agudos e reproduza um mesmo trecho ou teste de áudio do CD, e de cada um dos áudios em MP3. Ouça com atenção, analise, compare, veja se é possível perceber diferença. Analise qual deles teve perda perceptível e os que não têm diferença audível. Não esqueça que tudo deve estar na mesma “regulagem”: configuração, equalização e volume. Para evitar diferença de qualidade e frequência utilize preferencialmente o mesmo modelo, marca de player, mixer, equalizador, amplificadores, caixas e outros equipamentos caso tenha, para reproduzir as músicas / sons. Em outras palavras, faça todo o teste em um mesmo ambiente, com os mesmos equipamentos, configurações e no mesmo momento. Se tiver acesso, utilize um par de player profissional para DJs de boa marca, preferencialmente de sua total confiança, e que toque tanto CDA/”WAV” quanto MP3. Esta é a forma mais eficiente de se fazer este teste. Coloque o CD de áudio em um player e o CD com os arquivos de MP3 em outro, equalize, coloque os volumes iguais e não se esqueça de deixar o controle de velocidade (“pitch”) no zero. Solte as duas ao mesmo tempo, 100% sincronizadas e utilize o crossfader para mudar de um player para outro de forma rápida, instantânea e observe, estude, análise a diferença sonora entre os sons de um e do outro. Agora, tire suas próprias conclusões.

Obs.: Ao realizar o teste, lembre-se de estar com os ouvidos descansados e bem limpos. Procure ter bom senso, seja imparcial e coerente durante os testes.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Validação *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Link to my Facebook Page
Link to my Youtube Page