Dicas, cursos, tutoriais, artigos, análises e críticas relacionadas a todo universo DJ

Uncreative place

www.uncreativeplace.com.br

Um espaço com visual e conteúdo jovem

Após alguns anos escrevendo como colaboradora para alguns blogs, Bianca Caroline, uma jovem estudante apaixonada por livros, filmes, séries, músicas e várias outras artes, resolveu criar seu próprio espaço na grande rede e em Agosto de 2016 começou a disponibilizar artigos, análises, críticas e indicações de arte em geral.

Sensatez e insensatez – Onde uma não está, a outra governa

Insensatezes na educação / ensino, aprendizado, treinamento, religião / igreja, trânsito, economia, medicina / saúde, política, arte, jornalismo, justiça / direito, esportes

Artigo 1 da série: Insensatez

Sensatez / bom senso e coerência próximos da extinção

Sensatez e coerência são virtudes, na realidade, habilidades, que a cada dia se tornam mais raras em todos os campos, áreas e atividades. Se a humanidade continuar em uma falsa evolução, vivendo falsas verdades, não vai demorar muito para a sensatez e a coerência se tornarem extintas e serem apenas dois termos sem uso prático do dicionário.
No âmbito pessoal, em amizades, relacionamentos, trabalho, medicina, nas artes, esportes, direito / justiça e religião, a sensatez está desaparecendo rapidamente. Já no trânsito e na política, há muito tempo são extremamente raras, praticamente inexistentes. Em alguns países a coisa é muito pior. O Brasil, minha pátria amada, é um destes países onde quase não se vê sensatez e coerência.
O capitalismo, a ganância, pressa, correria excessiva, a baixa qualidade do ensino / educação e as mídias, são alguns dos principais responsáveis pela enorme e rápida diminuição da sensatez e coerência da humanidade. A cada geração, a perda de sensatez é expressiva e afeta, sem exceção, tudo e todos de diversas maneiras – do relacionamento interpessoal, saúde, felicidade, a economia do mundo.

Insensatez
Uma das falhas no algoritmo mental humano

A sensatez sai e dá lugar a insensatez. Sempre, onde uma não está a outra governa.
A insensatez a qual estou me referindo nesta série de artigos, não é relacionada a ingenuidade da infância ou proveniente de problemas / transtornos mentais. Estou me referindo basicamente às insensatezes relacionadas a falta de bom senso, ponderação, maturidade, raciocínio lógico, sabedoria, educação e direcionamento adequado, e as referentes a falta de vergonha na cara, “esperteza” e malandragem.
Este tipo de insensatez atinge a todos, sem distinção de raça, sexo, sexualidade, orientação sexual, gênero, religião, nível social ou econômico. Atinge do mais pobre ao maior bilionário. Todos nós em alguns momentos temos pensamentos, ideias, cometemos atos, ações insensatas. Porém a realidade é que a grande maioria, quase totalidade dos seres humanos, nunca foram de fato muito sensatos, coerentes. Sensatez absoluta nunca existiu. O que existe são pessoas mais e pessoas menos sensatas.
Infelizmente a cada geração, a humanidade tem ficado cada vez menos culta, inteligente, sábia e mais imatura, ingênua, sem noção, inconsequente, sem opinião própria e de fácil manipulação; mas o pior é que se acham, melhor dizendo, tem certeza que ficaram mais espertas, inteligentes, e que realmente evoluíram. O fato é que a população cresce vertiginosamente e obviamente, proporcionalmente, “surgem” alguns poucos, relativamente mais espertos, inteligentes, mais sábios e também algumas pessoas mais sensatas; mas isso não significa que a população do planeta em um todo,  melhor dizendo, que a maioria de nós de fato tenhamos evoluído, nos tornado mais inteligentes, espertos e sensatos.
Pelo contrário. Devido principalmente ao crescimento da internet, mídias e sub mídias em geral, a maioria vem ficando cada vez menos sensata e intelectualmente menos evoluída, agravando-se ainda mais devido às mídias (rádios, TVs, revistas, jornais), agências publicitárias, jornalistas e outros “formadores de opinião” sensacionalistas, manipuladores e ou tecnicamente imaturos.
Com isso, a maioria pratica cada vez menos o ato de pensar, analisar, processar informações, e consequentemente, tem cada vez menos conhecimento, cultura, inteligência, habilidades, raciocínio lógico, sabedoria e claro, menos sensatez.
Devido a insensatez, a grande maioria não pensa, não antecipa os resultados, não prever o que pode acontecer, não mensura as consequências, os efeitos colaterais negativos dos seus pensamentos, ideias, atos, palavras, gestos e ações.

Insensatez relacionada, por trás de muita coisa e em praticamente tudo

Insensatez tem grande relação com emoções, sentimentos, comportamento, atos, ações, reações, pensamentos, ideias, decisões, conclusões, nível de maturidade, ingenuidade, raciocínio lógico e sabedoria. Também tem relação com nível cultural, de conhecimento e inteligência, mas depende de diversos fatores e variáveis significantes, diretos e indiretamente ligados a estes.
A insensatez está por trás da imprudência, inconsequência, ignorância, arrogância e também por um lado, está por trás, é a geradora, e por outro, é gerada por mitos, falsos conceitos, ideias antiquadas, falsas verdades, preconceitos e muitos outros.
A insensatez está em praticamente tudo: na educação, ensino, treinamento, aprendizado; indústrias, comércios, corporações, religiões, publicidades, política, governos, direito / justiça, leis, regulamentações, medicina, saúde, economia; está na moda, estética, beleza, consumo, concorrência, “evolução”, falta de qualidade e eficiência de produtos e serviços; nos preços, margens de lucros; a insensatez está na fortunas de alguns poucos, na pobreza da grande maioria e em tudo mais que se possa imaginar. Obviamente que a insensatez atinge, é mais forte e evidente, em uns que em outros.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Validação *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Link to my Facebook Page
Link to my Youtube Page