Dicas, cursos, tutoriais, artigos, análises e críticas relacionadas a todo universo DJ

Uncreative place

www.uncreativeplace.com.br

Um espaço com visual e conteúdo jovem

Após alguns anos escrevendo como colaboradora para alguns blogs, Bianca Caroline, uma jovem estudante apaixonada por livros, filmes, séries, músicas e várias outras artes, resolveu criar seu próprio espaço na grande rede e em Agosto de 2016 começou a disponibilizar artigos, análises, críticas e indicações de arte em geral.

Comparação justa quanto a inteligência e genialidade

Comparação justa quanto a inteligência e genialidade

Complemento do artigo Inteligência única X múltiplas inteligências

Alguns estudos sobre inteligência e genialidade deixam a entender, dão a impressão, que são consideradas, que comparam também pessoas com distúrbios físicos cerebrais e ou mentais que possuem alguma síndrome, e que por isso pode gerar habilidades específicas extraordinárias, muito acima da média, o que os leva a serem considerados gênios em alguma coisa. Porém para uma comparação eficiente e justa com ambos, deve-se separar a genialidade de pessoas normais sem deficiências, problemas mentais, de pessoas com distúrbios, deficiências, problemas como síndrome de savant e outros.

Em muitos casos o que está sendo definido / classificado como tipos de genialidade está mais para habilidades mentais, sensoriais, físicas e emocionais. Tudo depende da ótica, ponto de vista.

Já em relação a tipos de inteligências, para defender o conceito de várias inteligências, se realmente são várias e cada indivíduo é muito melhor em uma e relativamente menos em outras, então está faltando um tipo de inteligência, a inteligência múltipla, pois há pessoas, como cito de forma mais detalhada no artigo Inteligência única X múltiplas inteligências, que têm capacidade de aprender quase qualquer coisa, ou seja, teoricamente têm um “pouco” das várias inteligências (lógico-matemática, musical, interpessoal, intrapessoal, linguística, motora / corporal-cinética, naturalística, espacial).

No caso de realmente haver múltiplas inteligências, a comprovação de que existe uma que abranja todas, é o fato de que, seja por obrigação ou desejo, muitas pessoas estudam e aprendem a dirigir, dominam automóveis, andam de bicicleta, dançam; têm boa lógica; dominam a música, tocam algum instrumento musical; têm relativa intimidade com matemática, se comunicam bem, dominam pelo menos uma língua, lidam bem consigo mesmo e com outras pessoas, ou seja, têm boa relação intrapessoal e interpessoal; dentre outras, que necessitam de conhecimentos e habilidades ligadas aos vários tipos de inteligência citados.

Obviamente que os conhecimentos e habilidades de cada indivíduo em cada campo dependem relativamente do ambiente, oportunidades, tipo e qualidade do treinamento, aprendizado, direcionamento e do tempo investido desde antes ou após o nascimento.

Por falta de interesse, desejo, direcionamento, ambiente adequado, oportunidade e ou por falta de tempo, muitas pessoas podem não ter conhecimentos e habilidades relativamente mais profundos ligados a todos os tipos de inteligências.

Enfim, para minimizar ainda mais as controvérsias, se também considerarmos o significado de inteligência contido nos dicionários, inteligência é uma única. Nos dicionários Houaiss e Michaelis, inteligência significa: 1 – faculdade de conhecer, compreender e aprender; 2 – capacidade de compreender e resolver novos problemas e conflitos e de adaptar-se a novas situações; 3 – conjunto de funções psíquicas e psicofisiológicas que contribuem para o conhecimento, para a compreensão da natureza das coisas e do significado dos fatos; 4 – modo de interpretar, de julgar; interpretação, juízo, entre outros.

Em nossos materiais relacionados com inteligência e genialidade, consideramos pessoas mentalmente normais sem nenhuma deficiência, problema, distúrbio e ou síndrome mental que em contrapartida, por algum motivo possa gerar habilidades especiais extraordinárias em um ou mais campos.

Dependendo do ponto de vista pode parecer preconceito porém, quem raciocina de forma verdadeiramente inteligente, lógica, percebe que não é. O problema é que é relativamente mais difícil uma pessoa inteligente normal competir com a genialidade, habilidades, potencial mental específico de muitos dos gênios congênitos ou acidentais. Por isso não se deve comparar, considerar as habilidades extraordinárias de gênios naturais, com inteligência dentro do normal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Validação *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Siga-nos
Link to my Facebook Page
Link to my Rss Page
Link to my Youtube Page