Dicas, cursos, tutoriais, artigos, análises e críticas relacionadas a todo universo DJ

Uncreative place

www.uncreativeplace.com.br

Um espaço com visual e conteúdo jovem

Após alguns anos escrevendo como colaboradora para alguns blogs, Bianca Caroline, uma jovem estudante apaixonada por livros, filmes, séries, músicas e várias outras artes, resolveu criar seu próprio espaço na grande rede e em Agosto de 2016 começou a disponibilizar artigos, análises, críticas e indicações de arte em geral.

Ensinar a aprender

A grande dificuldade que muitos têm em aprender algo devido a falta de preparo dos instrutores, do ensino e treinamento inadequado e ineficiente

Ensinando a aprender – Cérebro - Inteligência - Habilidades - Criatividade - Sentidos - Percepção sensorialGrande parte dos seres humanos tem capacidade de aprender praticamente qualquer coisa, mas devido a diversos fatores, entre eles, falsos conceitos, falsas verdades, mitos e ideias antiquadas principalmente quanto a estudo, treinamento e aprendizado, devido a treinamento, exercícios, técnicas e conceitos inadequados; relaxamento / preguiça mental, falta de maturidade, bom senso e coerência, devido a hábitos mentais (intelectuais) e outros, a grande maioria tem muita dificuldade em aprender coisas relativamente simples. A maioria dos brasileiros, não sabe captar, ler, analisar e interpretar informações; têm dificuldade de assimilação e não sabem se guiar pelos seus sentidos – em outras palavras, não sabem usar os sentidos para colher / captar / ler informações e o cérebro para analisar / processar estas informações.

De quem é a culpa?

Alguns dos culpados disso são o direcionamento familiar / meio que foi criado e hábitos esportivos e intelectuais desde a infância. Porém, o maior culpado é o sistema de ensino – desde o fundamental – que tem muitas deficiências, principalmente quanto aos professores, que como a maioria dos que atuam profissionalmente, não tem maturidade profissional. São muito poucos os professores que têm conhecimento, preparo e habilidades ligadas a treinamento para ministrar cursos. A maioria, inclusive muitos formados em pedagogia, não tem a maturidade técnica e profissional mínima adequada para ensinar porém é possível encontrar pessoas que não são formadas, muito menos em treinamento (pedagogia), que não atuam como instrutores, e que tem mais habilidades e facilidades em ensinar do que a maioria dos que atuam como professores graduados. Ensinar é uma arte como muitas outras. Além de muito conhecimento e muitas técnicas, é preciso gostar muito da atividade, ou seja, gostar de ensinar, de passar adiante o seu conhecimento.
Na grande maioria dos casos, dos poucos que aprendem de verdade e se tornam bons em alguma atividade / especialidade, inclusive de treinamento, normalmente o fazem sozinhos, como autodidatas. Aprendem a lidar de forma consciente ou subconsciente com o cérebro e os sentido e não devido ao sistema de ensino. Em países como o Brasil o sistema de ensino basicamente faz as pessoas decorarem informações para passar em uma prova / teste, ensinam a fazer cálculos, resolver problemas, mas não em como essas atividades podem exercitar o cérebro, fazê-las mais inteligentes e criativas no geral devido a trabalhar / exercitar o cérebro de várias maneiras. A grande maioria dos que atuam como professores, instrutores e / ou treinadores não mostram aos seus aprendizes o quanto podem ajudá-lo a refletir, a dedicar-se a uma atividade que possa vir a se apaixonar no futuro.
Uma das principais funções / objetivos iniciais do ensino fundamental deveria ser ensinar a aprender, ensinar a trabalhar os sentidos, desenvolver consciência sensorial, habilidades mentais, ensinar os alunos a entender o cérebro, suas funções, seu poder, e desenvolver o raciocínio lógico de forma direta. Em outras palavras, o ensino fundamental deveria trabalhar e ajudar a desenvolver a inteligência de uma forma mais rápida, explicando, ensinando a usar e gerando intimidade com o cérebro e os sentidos de forma mais objetiva como ocorre em alguns países onde em média a população é mais inteligente.

O que se deve fazer?

Deve-se ensinar / explicar e desenvolver o cérebro, o poder de concentração, poder de assimilação, trabalhar não só o QI, mas também o QE (quociente emocional / lado emocional – “boas e más emoções / sentimentos”), dentre outros e com isso ampliar o poder de aprendizagem, a inteligência e a criatividade como um todo. Sabendo como trabalhar as verdadeiras ferramentas – o cérebro e os sentidos – a média intelectual, de criatividade e consequentemente a produtividade dos brasileiros subiria expressivamente em poucos anos, superando a maioria e se igualando a países com QI e QE mais altos. O treinamento para tornar as pessoas mais habilidosas mental e fisicamente não seria difícil. Pode ser feito facilmente de uma forma divertida e descontraída. Mas antes, uma das coisas a serem feitas é eliminar mitos, falsos conceito, ideias antiquadas e até preconceitos ligados ao aprendizado, treinamento e desenvolvimento de habilidades. Desenvolver / moldar habilidades em pessoas é uma arte que poucos são capazes de promover / realizar porém querendo, é possível dominar esta maravilhosa arte.
As principais ferramentas dos seres humanos são o cérebro e os sentidos. Aprenda a usá-los e estará dentre os mais bem preparados. Como a neurociência vem constatando, não é preciso nascer com dom, ser um gênio nato para ser muito bom em algo. A maioria dos poucos bons de verdade em diversas atividades não são superdotados, gênios natos, não nasceram com um dom especial – só condicionaram de forma natural (sem intenção) ou desenvolveram suas habilidades através de treinamento dedicado e com muito esforço. Para realmente ser bom e ter diferencial em qualquer área tem que gostar e se dedicar. Quando uma pessoa realmente gosta de uma atividade, quando se dedica e / ou quer de verdade, qualquer habilidade pode ser desenvolvida. Somente algumas deficiências / distúrbios físicos, sensoriais e / ou mentais diretamente ligados às habilidades a serem desenvolvidas / trabalhadas podem ser um empecilho, mas na maioria dos casos, nosso grande limitador somos nós mesmos, nossos medos, sentimentos negativos, falsos conceitos, falta de autocontrole e outros.

Com treinamento adequado e dedicação a maioria pode aprender praticamente qualquer coisa

Por mais difícil que seja uma matéria / assunto / disciplina, se ministrado por instrutor bem preparado, realmente especializado em treinamento e com as principais habilidades necessárias aos instrutores bons de verdade, o aprendizado pode se tornar relativamente mais fácil, da mesma forma que uma matéria / assunto / disciplina simples, fácil pode se tornar relativamente mais complexa quando ministrada por quem não tem as habilidades e o preparo adequado, necessário a um instrutor bom de verdade.

A falta de preparo dos instrutores e a falta de qualidade do ensino fundamental está retardando em muito o amadurecimento adequado das pessoas e consequentemente do país. A grande maioria tem idade mental, nível de maturidade, consciência intelectual, bom senso e outros, menores do que o ideal para sua idade biológica. Já a falta de qualidade dos cursos superiores e principalmente dos cursos gerais (não técnicos nem superiores) que não são de responsabilidade do MEC, estão retardando expressivamente o amadurecimento técnico profissional e consequentemente a qualidade dos serviços e produtos do mercado. São poucos, muito poucos, os que geram boa qualidade e contribuem com a maturidade e o crescimento técnico e profissional dos alunos e de todo o mercado, comércio e indústria do Brasil. O ensino, treinamento, cursos de todos os tipos podem ser muito melhores do que são. E o MEC também poderia ser muito melhor do que é.

O ser humano normal, se quiser, aprende praticamente qualquer coisa se desenvolvida, trabalhada e utilizada as habilidades adequadas de forma correta. A grande maioria dos seres humanos tem praticamente as mesmas habilidades, porém por falta de conhecimento, treinamento adequado, preguiça / relaxamento, falsos conceitos e outros problemas citados, grande parte desta maioria não as trabalha e / ou aprende a utilizá-las de forma adequada, e com isso temos dificuldades em desenvolver outras habilidades e aprender a maioria das coisas. Se as principais habilidades forem desenvolvidas, trabalhadas e condicionadas de forma adequada, o aprendizado e desenvolvimento de outras habilidades se tornará extremamente mais fácil e rápido. Com exercícios e técnicas de treinamento corretas, bem aplicadas (dirigidas e dosadas), qualquer pessoa normal (sem deficiências mentais, físicas e / ou sensoriais) é capaz de aprender e desenvolver praticamente qualquer habilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Validação *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Link to my Facebook Page
Link to my Youtube Page