Dicas, cursos, tutoriais, artigos, análises e críticas relacionadas a todo universo DJ

Uncreative place

www.uncreativeplace.com.br

Um espaço com visual e conteúdo jovem

Após alguns anos escrevendo como colaboradora para alguns blogs, Bianca Caroline, uma jovem estudante apaixonada por livros, filmes, séries, músicas e várias outras artes, resolveu criar seu próprio espaço na grande rede e em Agosto de 2016 começou a disponibilizar artigos, análises, críticas e indicações de arte em geral.

Inteligência única X múltiplas inteligências

Inteligência única vs múltiplas inteligências

Alguns especialistas defendem que existem diferentes tipos de inteligências (lógico-matemática, musical, interpessoal, intrapessoal, linguística, motora / corporal-cinética, naturalística, espacial), e que cada pessoa tende mais para umas que para outras. Já outros estudiosos defendem que a inteligência é uma só, e basicamente depende do foco, investimento especialmente de tempo.

Seguindo diversos fatos relativamente comuns, raciocínio lógico, artigos, documentários, livros sérios, o conceito de inteligência única é relativamente mais plausível.

Para minimizar controvérsias nesta série de artigos sobre inteligência e comportamento, saiba que segundo uma série de documentários do NatGeo (National Geographics), a genialidade pode ser por três motivos, que são: congênito (o indivíduo nasce com ela), acidental (após algum tipo de “acidente” que altera o cérebro) e construída (desde antes ou após o nascimento). https://www.youtube.com/watch?v=qLq4agOGyJw.

Baseado em tudo que já estudei, analisei e em observações próprias, criar / se tornar um gênio de forma construída, intencional, é completamente possível mas depende de vários fatores, e quanto mais cedo iniciar a indução, direcionamento, e claro, o treinamento, maior será o nível de inteligência, potencial do indivíduo.

A inteligência, nível de habilidades mentais e sensoriais em uma atividade depende muito da indução natural (subconsciente, normalmente devido ao ambiente); indução intencional (consciente / objetivada por alguém); do direcionamento, interesse (consciente ou inconsciente); do “amor” adquirido naturalmente por uma atividade / tema; do investimento do processamento / potencial mental e da dedicação de cada indivíduo em um ou mais campos.

 

Pessoas que aprendem praticamente qualquer coisa

Muitas pessoas são relativamente boas em várias atividades distintas quanto a habilidades mentais, sensoriais e físicas, e em algumas mais que em outras. Considerando o dito anteriormente, pode significar que cada indivíduo se dedicou, investiu tempo e especialmente potencial mental mais a uma(s) que a outra(s). Além disso a maioria destas pessoas têm relativa facilidade em aprender, se adaptar a novos processos, procedimentos físicos, sensoriais e ou mentais que ainda não tinham tido contato, não conheciam, e claro, têm também relativa facilidade para desenvolver habilidades novas para elas, ou seja que ainda não tinham. Desconsiderando a atualidade, um, entre muitos exemplos da história, podemos citar Leonardo da Vinci (https://pt.wikipedia.org/wiki/Leonardo_da_Vinci) que se destacou como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. Leonardo da Vinci foi um homem muito à frente do seu tempo, assim como muitos outros que vieram após ele.

 

O ambiente, a indução e o nível de inteligência, conhecimento e habilidades de cada um em uma ou mais atividades relacionadas ou distintas

Considerando de forma lógica que uma pessoa nasceu em um ambiente propício, recebeu incentivos, apoios, elogios diretos e ou indiretos desde a infância em relação a algumas de suas ações e comportamentos, certamente ela subconscientemente adquiriu “amor” por alguma atividade direta ou indiretamente ligada a elas (suas ações/comportamentos), o que a fez focar, direcionar ainda mais seu tempo, atenção, potencial e processamento mental, para ampliar seus conhecimentos e habilidades ligadas a atividade. Com isso, obviamente que este indivíduo será muito melhor e mais habilidoso para a atividade a qual focou, investiu seu tempo, estudou e pesquisou, do que pessoas que da mesma maneira, dentro das mesmas condições descritas, focam / focaram, direcionam / direcionaram a mesma quantidade de tempo e dedicação a várias outras atividades distintas, paralelamente.

Em contrapartida, pessoas que dividiram seu tempo para estudar vários temas de forma sequencial e ou paralela, serão relativamente melhores no geral ou seja, terão habilidades em vários campos / “tipos de inteligências”. No fim, hipoteticamente, ambos poderão ter relativamente, basicamente o “mesmo” volume de conhecimento e habilidades, porém divididos, melhor dizendo, distribuídos, dentro dos temas, atividades e habilidades que focaram.

Dependendo do volume de conhecimento e habilidades desenvolvidas, o que focou, direcionou maior parte de seu tempo a apenas uma atividade / especialidade, poderá ser considerado um “gênio” desta, mas isso não significa que ele não possa aprender e dominar outras atividades; basta querer, e claro, ter tempo suficiente para se dedicar a pesquisas, estudos e análises bases e complementares de outra, ou mesmo outras, atividades.

Da mesma forma, não significa que o que tem grande conhecimento dividido em várias atividades, não possa se direcionar, focar e dominar uma única atividade como o outro.

Além do direcionamento / treinamento, do tempo para se dedicar, dentre outras coisas, depende também do indivíduo se sentir atraído pela atividade e principalmente querer aprender, dominar, e desenvolver habilidades ligadas a ela.

 

O amor induzido ou natural por uma atividade e a facilidade em aprender e dominá-la

Como digo em outro material é possível abrir o “coração” / a mente, passar a gostar de algo que não gosta, inclusive uma atividade, e com isso aprender, dominar e até ser muito bom nela. Quando se é realmente inteligente, se tem facilidade em aprender quase qualquer coisa; basta querer, abrir o “coração” / mente e se dedicar, seja como aprendiz (direcionado/orientado), autodidata ou usando ambos os métodos.

Como disse acima, em outras palavras, acredito também que tudo depende do amor por uma ou mais atividades. Uma pessoa pode consciente ou subconscientemente amar profundamente uma única atividade, disciplina, tema, ou mais de uma, e estas podem ser direta ou indiretamente ligadas ou até mesmo distintas.

Todas as pessoas cerebral / mentalmente e sensorialmente saudáveis têm basicamente as mesmas possibilidades cognitivas / quanto a inteligência. O nível de potencial mental de cada indivíduo vai depender do volume de conhecimento, da qualidade destes conhecimentos, de como eles são processados e outros fatores citados.

 

A importação / exportação de conhecimentos e habilidades de atividades distintas e a inteligência

Gostaria de deixar claro que muitas atividades, mesmo sendo extremamente distintas, têm muito em comum quanto a conceitos, técnicas, processos, procedimentos, fórmulas, habilidades requeridas e ou outros. Às vezes o que muda, basicamente, são os ingredientes / matérias-primas e as ferramentas.

Portanto, muitos conhecimentos, habilidades, processos, procedimentos, técnicas, conceitos, fórmulas – mesmo de áreas / atividades muito distintas, são muito análogas / similares, e com isso, podem ser facilmente exportadas / importadas e ou adaptadas de uma atividade / área para outra. E pessoas verdadeiramente inteligentes fazem isso periodicamente.

Como exemplo simples, analise, compare: um chef de cozinha – o especialista da arte culinária, arte de organizar os elementos, dos sabores, de agradar ao “paladar”, ou melhor dizendo, o cérebro através do paladar – com um produtor musical, especialista na arte de organizar os sons e elementos sonoros para agradar à “audição” ou seja, o cérebro através dos ouvidos. Verá que são praticamente a mesma coisa, especialmente quanto a criatividade, misturas, sensatez, raciocínio lógico – basicamente só mudam as matérias primas, ingredientes, ferramentas utilizadas e o sentido explorado.

Não existe varinha mágica. Para ser realmente inteligente seja em uma ou em múltiplas atividades é preciso se dedicar. E quanto mais cedo começar, melhor será.

 

Para mais comprovações quanto a inteligência única veja também o artigo:

Gênios construídos – o lado oposto de múltiplas inteligências.

 

Evite conclusões erradas

Para não tirar conclusões precipitadas e consequentemente erradas, é recomendado que leia outros artigos desta série como, o artigo sobre dom e talento, e que pesquise em diversos outros sites, livros e revistas.

 

Para saber mais sobre inteligências veja:

http://super.abril.com.br/ciencia/inteligencia/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Quociente_de_inteligência

http://michaelis.uol.com.br/busca?id=PqO2A

http://super.abril.com.br/ciencia/as-muitas-caras-da-inteligencia/

http://mundoestranho.abril.com.br/ciencia/o-que-e-a-teoria-das-multiplas-inteligencias/

http://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2016/08/7-sinais-de-que-voce-e-inteligente-e-nao-sabe.html

https://super.abril.com.br/ciencia/os-maiores-cerebros-do-mundo/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Savantismo

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Validação *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Siga-nos
Link to my Facebook Page
Link to my Rss Page
Link to my Youtube Page